Pesquisas

O Grupo de Pesquisa sobre Potências Médias está envolvido nas seguintes pesquisas em andamento:

  • O Papel do Brasil e da China na Nova Governança Econômica Global: do G8 ao G20

Projeto de Pesquisa MCTI/CNPq 2013

Objetivos: Analisar os processos de transformação do sistema G8 a partir do final dos anos 1990 e as possibilidades e dilemas que tais processos apresentam para os países emergentes na nova governança econômica global, com destaque para o Brasil neste contexto

  • As Relações Internacionais da América Latina no Pós-Guerra Fria

Parceria com o Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais (IEEI) da Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Objetivos: Comparar a situação internacional da América Latina em inícios do Pós-Guerra Fria, com relação às mudanças nos anos recentes; Avaliar as opções da região frente à sua nova realidade internacional; Identificar as mudanças que sofreram as relações interamericanas, assim como os lineamentos essenciais de continuidade; Projetar os impactos para a região da sua atual realidade interamericana e internacional.

Integrantes: Javier Alberto Vadell – Integrante / Leonardo César Ramos – Integrante / Carlos Oliva Campos – Integrante / Luis F. Ayerbe – Integrante / Lourdes Regueiro Bello – Integrante / María Teresa Montes de Oca Choy – Integrante / Eduardo Perera – Integrante / Jaime Preciado Coronado – Integrante / Jaime Estay – Integrante / Ignacio Medina – Integrante / María Patricia Íñiguez – Integrante / Gary Prevost – Integrante / Carlos Eduardo Lins – Integrante / Kristin Seffer – Integrante / Beatriz Carolina Crisorio – Integrante / Norberto Aguirre – Integrante.

  • As implicações políticas da crescente presença econômica da China no Brasil: Cooperação Sul-Sul ou relacionamento Norte-Sul?

FAPEMIG – APQ-00354-13 Demanda Universal

Descrição: O nosso projeto parte de duas questões principais. A primeira pretende entender se a relação bilateral Brasil-China, desde 2001, seria uma continuação da gradual cooperação desenvolvida nas décadas de 1980 e 1990, que se consolidou com a parceria estratégica de 1993, sob o paradigma da Cooperação Sul-Sul (CSS), ou, pelo contrário, se se trata de um fenômeno novo, uma espécie de relação Norte-Sul, que estaria cristalizando uma especialização produtiva e comercial Centro-Periferia. A segunda questão, derivada da primeira, tem a ver com o papel do Brasil neste complexo, embora favorável, cenário econômico regional e global. Embora os países da América do Sul em geral e o Brasil em particular estão atravessando as turbulências da crise financeira de 2007/2008, o impacto não tem sido tão dramático como nas regiões do mundo desenvolvido. Neste sentido, o fator China tem sido crucial para amortecer a queda derivada da crise, para se pensar possíveis cenários de crescimento ou até para projetar modelos de desenvolvimento alternativos.

Integrantes: Javier Alberto Vadell – Coordenador / Pedro Henrique Neves – Integrante.

Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Auxílio financeiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s